Demência: tudo o que precisa de saber
Saúde e Bem Estar

06 Julho 2020

Demência: tudo o que precisa de saber

Demência: tudo o que precisa de saber

Demência: tudo o que precisa de saber

A Demência designa o processo de deterioração das capacidades das capacidades cognitivas e infelizmente os sintomas que a caracterizam são muitas vezes confundidos com consequências naturais do envelhecimento, o que pode dificultar o diagnóstico.
Um diagnóstico precoce é fundamental para que as capacidades e a qualidade de vida do paciente possam ser preservadas, pelo que os primeiros sintomas não devem ser desvalorizados. Alguns destes sintomas são:

  • Perda de memória (normalmente da memória a curto prazo).

  • Dificuldade na tomada de decisões, na resolução de problemas e na execução de tarefas sequenciais.

  • Perda da noção do tempo e desorientação.

  • Dificuldades no pensamento abstrato.

  • Discernimento diminuído.

  • Trocar coisas de lugar.

  • Alterações comportamentais e de personalidade.

  • Perda de iniciativa.

Os sintomas podem surgir de forma gradual e discreta e a sua progressão e agravamento variam de caso para caso.

 

Tipos de Demência

Existem vários tipos de demência, que diferem na sua sintomatologia, consoante a zona do cérebro que é afetada.

 

Doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é o tipo mais comum de demência.
Esta doença provoca uma alteração gradual da estrutura cerebral e dos processos químicos que decorrem no cérebro, o que leva à consequente morte de células cerebrais.

Sintomas:

  • Dificuldades de memória.

  • Discurso vago e confuso.

  • Perda de interesse em atividades que antes eram apreciadas.

  • Dificuldade na execução de tarefas rotineiras.

  • Incapacidade de reconhecer pessoas e lugares.

  • Dificuldade em seguir instruções ou em compreender questões.

  • Degradação de competências sociais.

  • Mudanças de humor abruptas.

 

Demência Vascular

A Demência Vascular é um tipo de demência associado a problemas ao nível da circulação sanguínea, nomeadamente na irrigação do sangue até ao cérebro.
Este tipo de demência subdivide-se em dois tipos, a Demência por Multienfartes e a Doença de Binswanger.

Demência por Multienfartes 
Este tipo de Demência Vascular tem como sintomas característicos depressão severa, epilepsia e alterações de humor, e resulta dos danos provocados por pequenos enfartes cerebrais.

Doença de Binswanger
A Doença de Binswanger tem também origem nas alterações causadas por enfartes, está associada à hipertensão e tem como sintomas típicos a sensação de sonolência e de lentidão, dificuldade de locomoção, incontinência urinária e instabilidade emocional.

Demência com Corpos de Lewy

A Demência com Corpos de Lewy resulta do desenvolvimento de estruturas anormais no interior das células nervosas do cérebro, o que leva à sua degeneração e à sua morte.
A confirmação do diagnóstico só pode ser realizada através da análise do tecido cerebral, ou seja, é póstuma.
No entanto há sintomas associados à doença que não devem ser ignorados.

Sintomas:

  • Confusão extrema.

  • Dificuldade de concentração.

  • Dificuldade em avaliar distâncias.

Existem ainda três sintomas cardinais da doença. Para que o diagnóstico seja feito o paciente tem de apresentar pelo menos dois destes sintomas:

  • Alucinações visuais.

  • Parkinsonismo (tremores e rigidez).

  • Flutuação do estado mental.

Demência Fronto-Temporal

A Demência Fronto-Temporal resulta da degeneração de um ou de ambos os lobos frontais e temporais do cérebro. Os lobos frontais são responsáveis por regular o humor, o comportamento, o autocontrolo e o discernimento, pelo que a sua lesão leva a alterações comportamentais e de personalidade. Por sua vez, lesões nos lobos temporais podem provocar dificuldades ao nível da locomoção e da categorização de imagens e de palavras.

 

Diagnóstico

Os sintomas dos vários tipos de demência são mais simples de distinguir durante a fase inicial da doença, pois com a sua progressão toda a atividade cerebral é afetada. Para que o diagnóstico seja adequado e para que, consequentemente, a intervenção clínica seja eficaz na melhoria da qualidade de vida do paciente com demência é fulcral que o diagnóstico seja realizado numa fase inicial da doença, enquanto os seus sintomas primários mais característicos ainda são facilmente identificáveis.

 

Tratamento

Por ser uma doença de génese degenerativa, a demência é progressiva, pelo que o tratamento não vida uma cura, mas sim um atenuar dos sintomas associados a cada tipo de demência. O alívio dos sintomas associados à demência, com recurso, ou não, à administração de fármacos, proporciona ao paciente uma melhoria da qualidade de vida.

Dependendo do tipo de demência a intervenção a realizar é diferente e, por cada paciente vivenciar cada sintoma de forma diferente, deve também ser pensada individualmente, caso a caso.

Existem ainda vários apoios disponíveis para os pacientes que sofram de demência e para os seus cuidadores, de modo a permitir que se faça uma melhor gestão do problema.

 


Deixe o seu comentário sobre este artigo

O formulário foi submetido com sucesso.
Campo de preenchimento obrigatório.
Campo de email inválido
Campo com limite máximo de caracteres
Este campo não coincide com o anterior
Campo com limite mínimo de caracteres
Ocorreu um erro na submissão, por favor reveja o formulário.

* Campos de preenchimento obrigatório.